Header Ads

AGAPE

Mãe e filha fazem campanha para custear exames e cirurgia


Após anos de peregrinação, elas perderam a esperança nos órgãos públicos de saúde e procuram a imprensa de Patos-PB pra relatar situação de abandono.


A exemplo de dezenas de milhares de pessoas em todo o estado da Paraíba, as senhoras Maria das Neves Ferreira da Silva, de 69 anos e, Maria Marta Ferreira da Silva, de 49 (Mãe e filha) moradoras da Rua Maria Generina de Araújo S/N, no bairro do Salgadinho, em Patos-PB, após inúmeras tentativas frustradas junto aos órgãos públicos de saúde competentes, não lhes restaram outra alternativa, senão recorrer à caridade das pessoas, para arrecadar cerca de R$ 7.000,00 reais para custear uma estereoscopia diagnóstica que custa R$ 2.000,00 e um procedimento cirúrgico no olho da idosa, que custa cerca R$ 5.000,00. Detalhe: desde de 2012 que elas tentam os procedimentos através dos órgãos de saúde.
 
Dona Nevinha, como é conhecida, não é aposentada, mas recebe um amparo do Governo Federal no valor de um salário mínimo. A filha, Marta, que não pode mais trabalhar por conta das constantes dores abdominais que sente diariamente e depois que o marido perdeu o emprego, foram morar com a mãe. 
 
“Eu, minha mãe e meu marido, que está desempregado por conta da pandemia, vivemos apenas com esse auxílio dela e alguns bicos que ele faz. Depois de pagar o aluguel, água e luz, mal sobra dinheiro pra comprar o que comer.”, explicou Marta. 
 
Ela disse ainda que já faz mais de oito anos que peregrina pelas unidades de saúdes.
 
“Desde de 2012 que peregrino pelas unidades de saúde, Central de Marcação e outros órgãos, mas um fica empurrando pro outro.”, lamentou, relatando as inúmeras idas até a Central de Marcação.
 
Marta também falou que a desorganização com os documentos é muito grande.
 
“Eles pedem o encaminhamento, a gente leva, eles perdem, a gente leva de novo, ai muda o governo, eles pedem de novo, a gente leva de novo, eles perdem novamente e assim vai passando o tempo.”, relatou desesperada. 
 
A dona de casa tem mede de sua situação se agravar ainda mais.
 
“Se eu não fizer essa histerectomia, minha situação pode se complicar e virar um câncer. Se minha mãe, que já não enxerga bem por um olho, não fizer essa cirurgia pode ficar cega. Agora eles tão dando a desculpa da pandemia, mas desde de 2012 que a gente vem nessa peleja.”, desabafou a dona de casa, que agora vai recorrer a TV Sol, para relatar esse descaso na tentativa de chamar a atenção das autoridades e tentar sensibilizar a população.
 
Quem puder ajudar, pode procurá-la no endereço citado, ou depositar qualquer quantia na conta poupança da Caixa Econômica Federal.
 
Agência – 0043-013
Conta Poupança – 00127860-2
 
 
 
 
Célio Martinez
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.