BANNER TOPO

Ùltimos

Policial

Após muita confusão, por um placar de 8X7 Câmara de Patos irá investigar Dinaldinho e Bonifácio por supostas irregularidades

sexta-feira, 30 de novembro de 2018--

/ por Redação
A sessão da Câmara Municipal de Patos, na noite desta quinta-feira (29), foi bem tumultuada. O Presidente da casa Sales Jr. Teve que interromper a sessão por duas vezes,  para dar andamento aos trabalhos, além da guarda municipal, a polícia militar foi acionada.
 
A plateia se manifestava a todo momento, tudo isso para que não se concretiza-se o pedido do ex-procurador do município, o advogado Claudinor Lúcio.
 
A DENÚNCIA
 
O ex-procurador do Município de Patos, Claudinor Lúcio, usou a tribuna para formular a denúncia fazendo o pedido de investigação do prefeito afastado Dinaldinho Wanderley (PSDB) e do vice-prefeito e atual prefeito interino Bonifácio Rocha (PPS).
 
 
 
De acordo com o advogado, o prefeito afastado e o interino cometeram crimes de improbidade administrativa, crime de responsabilidade e crime político-administrativo. Claudinor se baseia na ação do Ministério Público Estadual (MPE), que desencadeou a Operação “Cidade Luz”, a qual gerou o afastamento do prefeito Dinaldinho Wanderley, a utilização do carro da prefeitura utilizado pela 1ª dama também entrou na fundamentação, das denúncias.
 
Após muito muido, como se diz aqui no sertão,  os parlamentares votaram o pedido do advogado.
Por 8 votos a favor e 7 contra a Câmara de Vereadores de Patos acatou o pedido de investigação protocolado pelo advogado e ex-procurador do município, Claudinor Lúcio.
 
Votaram a favor do recebimento da denúncia: Fatinha Bocão, Ivanes Lacerda, Lucinha Peixoto, Gordo da Sucata, Dito, Góia, Ramon Pantera e Tide Eduardo.
Votaram contra o recebimento da denúncia: Cambirota, Paulo Lacerda, Capitão Hugo, Suélio Caetano, Toinho Nascimento, Ferré Maxixe e Diogo Medeiros. A vereadora Nadirgerlane Rodrigues se absteve da votação.
 
SEQUÊNCIA DO CASO
 
 
Será formada uma comissão composta por três vereadores (presidente, membro e relator) indicados pelos líderes dos partidos de maior representatividade na Câmara que  irão analisar as denúncias e resolver se prossegue ou arquiva o processo.
 
Se for decidido pela continuidade do processo, e encontrado as irregularidades pela comissão, a mesma terá cinco dias para notificar os denunciados, e os citados terão dez dias para apresentar a defesa prévia, e seguir para votação do pedido de afastamento.
 
“Seria um erro muito grande se a Câmara não acatasse essa denúncia de um eventual desvio de dinheiro público. Ao tomar conhecimento nós do Poder Legislativo iremos apurar as denúncias. Não só Patos, mas todo o Brasil vive um grande momento na política, e ninguém está acima da lei e toda denúncia deve ser apurada”, disse o vereador Ivanes Lacerda.

Já o Presidente da casa legislativa, Sales Júnior, falou que a câmara fez sua função e seguiu o rito do regimento interno.
 
“Na qualidade de presidente da Câmara apenas cumpri o rito que manda o regimento interno independente de qualquer partido, cor ou lado. Eu como presidente tenho que manter a minha postura. O regimento interno da Câmara foi cumprido para poder garantir a legalidade do processo. Não julgamos o mérito da questão, apenas acatamos a denúncia”, finalizou o Presidente.
 
“Foi uma sessão bastante tumultuada. Votamos contrário porque acreditamos em Bonifácio Rocha, sabemos da sua honestidade e da sua idoneidade. Estamos firmes e fortes e vamos acompanhar esse processo, tenho certeza que a justiça será feita e vamos provar, através da nossa assessoria jurídica, que não há nada contra o prefeito Bonifácio Rocha”, disse o líder do governo o vereador Diogo Medeiros.


De Olho No Sertão
Fotos: Odair Morais




Outros Destaques
© todos os diteiros reservados
easyweb com tecnologia blogger